Como elaborar um orçamento de obra!

Atualizado: 17 de Ago de 2019

Saiba como fazer um orçamento de obra, como este importante recurso ajuda a manter suas obras em equilíbrio e garante a rentabilidade da sua empresa.


Saiba como fazer um orçamento de obra, como este importante recurso ajuda a manter suas obras em equilíbrio e garante a rentabilidade da sua empresa.


1. Só inicie uma obra com o orçamento finalizado.


Muitos são os elementos necessários para a elaboração de um orçamento. São as chamadas Especificações Técnicas, que compreendem os projetos arquitetônicos e complementares de estrutura e o memorial descritivo da obra. Este conjunto de especificações deve ser utilizado para seu orçamento ficar completo.


Na definição da sociedade você pode optar pela SPE (Sociedade com Propósito Específico), SCP (Sociedade por Conta de Participação) ou até por consórcio.

Quanto a forma de tributação, deve-se analisar se é mais vantajoso o lucro real ou presumido.


Lembre-se também de envolver os profissionais das áreas impactadas, tais como Recursos Humanos, Compras e Vendas. Assim, além de trabalhar com informações mais concretas, você também conseguirá maior comprometimento com o orçamento.


2. Conheça os materiais e insumos necessários.


Um orçamento viável e confiável, do ponto de vista técnico, requer levantar e conhecer com profundidade o consumo de materiais em cada um dos serviços a serem realizados.

Levante a quantidade de mão de obra, o tempo de uso dos equipamentos necessários aos serviços, os custos financeiros decorrentes, os custos administrativos (indiretos), a carga tributária que irá pesar sobre os serviços, entre outros itens.


Conhecer realidade do mercado, as condicionantes regionais e locais, os métodos construtivos, a possibilidade de ocorrência de fenômenos climáticos, entre outros, também influencia diretamente na qualidade de seu orçamento.


A partir de um histórico de construções da empresa, as composições de insumos e mão de obra vão sendo melhoradas a cada projeto, e podem ser utilizadas de um projeto para outro, com as mesmas características.


3. Fique atento às obrigações trabalhistas.


Ao fazer a alocação dos profissionais em uma obra, é necessário lembrar que temos, além do salário envolvido, encargos trabalhistas, benefícios e leis sobre descanso, horas de trabalho, entre outras obrigações.

De acordo com o tipo de gestão aplicada aos empreendimentos, o percentual de encargos sociais básicos pode ser bastante reduzido, pois os encargos trabalhistas, contribuições obrigatórias a que estão sujeitos os empregadores, podem variar de acordo com o ramo de atividade.


4. Negocie os preços e as condições de pagamento.


É importante fazer uma lista de aquisições, avaliar as quantidades e comparar os fornecedores. Pesquise os preços, negocie condições de pagamento, busque descontos.


Elaborar políticas de parceria e aliança com os fabricantes, negociar e formalizar bem os contratos, permite que você chegue a um bom patamar de preços, condições de pagamento e garantia de entregas dentro de suas expectativas.


Crie uma memória de cálculo, com o levantamento quantitativo detalhado de acordo com as especificações (projetos e memoriais), com as unidades de medida adequadas para cada item.Vincule aos preços orçados e chegue o mais próximo possível do que irá se concretizar no decorrer da obra. Inclua informações como a data da cotação, nome das opções de fornecedores, condições de pagamento, entre outros. Assim, durante a confecção do orçamento, tornam-se mais fáceis as negociações e ajustes no plano. Além de facilitar comparativos e manter um histórico em relação as pesquisas realizadas.


5. Gerencie suas cadeias de suprimentos


Faça uma gestão efetiva, evitando que os pedidos sejam feitos com urgência, o que gera gargalos relacionados a atrasos na entrega dos materiais requeridos e pode impactar no custo da obra. Lembrando que a logística até a chegada do material à obra também pode interferir no cumprimento do seu orçamento.


6. Siga sempre seu orçamento


A planilha orçamentária não foi feita para ficar na sua gaveta. Utilize-a no seu dia a dia para apoiar a gestão de seu empreendimento e faça as revisões que achar necessária.


Acompanhe de perto todas as informações e faça a divulgação para os envolvidos na empresa, isto reforça o comprometimento de todos com o que foi planejado.


O cronograma físico-financeiro, que demonstra o avanço de sua obra, é de grande valia para verificar se o consumo do orçamento está condizente com o estágio de sua construção.


7. Utilize a tecnologia a seu favor.


O uso de um sistema de gestão orçamentário ideal, garantirá que você integre todas as áreas da empresa envolvidas neste fluxo, e facilitará a troca de informações do canteiro de obras com o setor administrativo.


Além disto, uma solução tecnológica, irá, entre outros benefícios:


• Garantir produtividade e assertividade no processo de orçamento de obras.

• Orçar de forma estimada e com composições.

• Vincular o orçamento aos custos da obra.

• Permitir replanejamento e registro de cenários.

• Simular cenários para entendimento do melhor caminho.

• Apoiar o dimensionamento de equipamentos e mão de obra.

• Permitir maior controle das despesas e da rentabilidade da obra.


Lembre-se que uma boa solução também é importante após a conclusão da obra, pois você irá gerenciar as unidades a venda e as contas a receber do empreendimento, além de poder contar com a criação de um histórico de dados, que será útil em projetos futuros.


Tudo isso por meio de uma base de dados atualizada e segura, o que gera agilidade na tomada de decisão em sua empresa.


ENTRE EM CONTATO COM A ALMIRANTE ENGENHARIA.

ORÇAMOS SUA OBRA COMPLETA!


#obra #orçamento #engenharia #incorporação #construção

15 visualizações
  • Facebook Reflexão
  • Instagram Reflexão
  • Reflexão YouTube
  • LinkedIn Reflexão